segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Magoa, raiva e ódio são mal estares gratuitos que afetam nossa saúde minuto a minuto...




Magoa, raiva e ódio são mal estares gratuitos que afetam nossa saúde minuto a minuto. Não entendo ainda, como as pessoas podem sentir tanta raiva dos outros ao ponto de ficar doentes (enquanto os outros nem sabem disso) Faz algum tempo, viajava para Porto Alegre desde Santa Catarina, de ônibus. O ônibus parou em Araranguá e um rapaz jovem subiu e sentou de meu lado. Eu vinha de dar um curso e queria descansar ou pelo menos não conversar, mas essa não era a ideia de meu amigo. Iniciou uma conversa quase em voz alta, poxa pensei, ele deve ser surdo para falar tão alto, mas não era, era normal, somente gostava de falar alto. Eu tentava responder em monossílabos para não estender nossa conversa porque a essas alturas já todo o ônibus estava em silencio escutando o que a gente conversava ou escutando o que ele falava. Ele perguntou o que eu fazia e Eu para simplificar, pois pensei que falar que trabalhava com energias e cósmicas ainda ia deixar ele maluco, falei que era terapeuta (trabalho com medicina chinesa) e falei baixinho para a plateia não escutar, ele repetiu em voz alta: Ahh o senhor é medico!!!, Não!!! falei baixinho ... Mas a empolgação dele já era difícil de parar e menos ainda tentar falar para ele que eu não era medico em esse meio tempo o ônibus parou novamente, ele se levantou e falou ainda em voz alta: eu desço aqui doutor... Dei graças a os meus mentores siderais e me preparei para um merecido descanso quando sinto alguém tocando meu ombro, uma senhora de aproximadamente 50 anos de aparência humilde com um braço enfaixado falou para mim: Doutor, por favor, o senhor poderia ler esta receita para mim porque eu não entendi o que o outro medico falou no posto e agora estou indo para Porto Alegre, olhei a cara da senhora e peguei a receita sem pensar, isto minha senhora é uma solicitação de tomografia computadorizada, expliquei como funcionava o aparelho e que era para ela não ter medo, que não ia sentir nada, ele era usado para radiografias mais exatas. Mas o que é que a senhora tem, pergunte já com curiosidade (os passageiros, sem eu saber, acompanhavam nossa conversa) Pois é doutor, quebrei meu braço já faz bastante tempo e o osso não cola, poxa pensei para mim, por que um coitado de um osso não vai colar? Estranho, falei para ela, não tem porque não colar. A senhora tinha sentado na poltrona enfrente, no corredor, pois é doutor, por isso vou para Porto Alegre, vão me examinar. Perguntei para ela: Aconteceu alguma coisa ruim quando quebrou esse braço?, Aconteceu doutor, eu caí porque sai correndo quando vi meu esposo (esse sem vergonha..., exclamou baixinho) me traindo com outra mulher dentro da minha casa, mas o que isso tem a ver doutor?  A senhora tem raiva dele perguntei já sabendo a resposta. Raiva doutor? Eu quero é acabar com a vida desse sem vergonha!! Pois é, esse é exatamente o motivo de que seu osso não cole, respondi olhando para ela fixamente, mas como doutor, exclamou, não entendo... Expliquei pacientemente que tudo é energia e que o amor é a principal energia de cura, que si ela tem ódio, as células, que trabalham com amor, não conseguem trabalhar e o osso não cola. O que posso fazer doutor, falou finalmente, pressa dentro de um dilema de consciência. Simples falei: Você tem que perdoar teu esposo e ainda assim amar ele, não precisa ficar com ele, somente perdoe e ame. Chorou baixinho e exclamou; Vou perdoar sim doutor, tenho que me curar deste braço quebrado... Obrigado doutor.. e se dirigiu para sua poltrona, uma senhora da poltrona atrás de mim me disse que ela estava com problemas sérios... e assim foi toda a minha viagem conclusão: atendi quase todo o ônibus, quando chegamos a Porto Alegre as pessoas me agradeciam, uma chegou a falar que estava encantada com essa nova visão que os médicos tinham agora, teria gostado de ter falado que não era medico e que as doenças eram somente desarmonias de nosso próprio ser, descobri que não tinha doença que não podia ser curada assim como não tinha pessoa tão ruim como para ficar doente. O amor cura, o perdão sublima essa cura dentro de nosso coração.